160 Anos de O Livro Dos Médiuns e seu legado para a humanidade

160 Anos de O Livro Dos Médiuns e seu legado para a humanidade

A Obra de Kardec

O professor Hippolyte Léon Denizard Rivail, que aos 57 anos, já após a publicação de O Livro dos Espíritos e do início da publicação de A Revista Espírita, trouxe para a humanidade encarnada mais uma obra da codificação, O Livro dos Médiuns, que trata da parte mais experimental e científica das obras então publicadas sob o pseudônimo de Allan Kardec.

Considerado uma espécie de “manual da mediunidade”, essa é uma obra completa sobre o assunto. Além de explicar o que é e como se processa o fenômeno mediúnico, diferenciando a manifestação física e a inteligente, o livro enfoca com detalhes os tipos de mediunidade que existem (psicografia, psicofonia, vidência, etc).

Esse livro da Codificação Espírita também mostra, entre outros assuntos: qual o papel do médium na comunicação; como distinguir espíritos bons dos maus; como efetuar as evocações com segurança; como devem ser as reuniões mediúnicas.

Martha Rios Guimarães, site Café com Kardec

Sendo o livro dos médiuns a maior obra sobre mediunidade de que dispomos, vale ressaltar que o seu estudo necessita de empenho e boa vontade de médiuns, dialogadores e entusiastas do Espiritismo.

O livro reúne informações acerca dos gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o mundo invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e tropeços que se podem encontrar na prática do Espiritismo. Como filhos da criação, somos parte do intercâmbio entre os planos, o físico e o espiritual, e cabe a nós buscar conhecimento e nos prepararmos para a missão de trabalhadores da última hora que logramos assumir.

Importante é ressaltar que o Espiritismo não tem sua principal força na prática das manifestações de efeitos mediúnicos, e que a filosofia que está intimamente ligada ao seu surgimento nesse plano se demonstra na pedra angular da sua filosofia, que baseia em razão e bom senso.

“(…) Dissemos que o Espiritismo é toda uma ciência, toda uma filosofia. Quem, pois, seriamente queira conhecê-lo deve, como primeira condição, dispor-se a um estudo sério e persuadir-se de que ele não pode, como nenhuma outra ciência, ser aprendido a brincar. O Espiritismo, também já o dissemos, entende com todas as questões que interessam a Humanidade (…).”

(O Livro dos Médiuns, Allan Kardec, capítulo III, Do Método, item 18)

O Livro dos Médiuns pode ser considerado como amostra primorosa sobre a trajetória da vida em ambos os planos, o “aquém e o além entrelaçados na lógica evolutiva do ser humano, como a criação inteligente da espécie viva. O Livro dos Médiuns repercute pela seriedade do assunto deambulando entre ciência e lógica formal. Mescla impecável de harmonia do pensamento dentro da linha desenvolvimentista que nos anima a ir em frente nos estudos evolutivos das manifestações esclarecedoras da existência.” (Paulo Eduardo Mendes, 2011)

Vivemos, hoje, um período de transição planetária, cheio de desafios e novidades para uma humanidade necessitada e desejosa de alento, mas que nem sempre se mostra disposta aos sacrifícios que os tempos demandam. Que a obra de Kardec, construída com muitas indagações, trabalho duro e respeito à filosofia espiritista possa nos permitir aprender e aplicar no mundo físico, os princípios propostos pelo Espírito de Verdade e as propostas benfazejas que nossos corações clamam execução.

Gabriella Araujo

Referências: https://cafecomkardec.com.br/home/janeiro-marca-o-lancamento-de-muitas-obras-da-codificacao-espirita/

https://www.ebiografia.com/allan_kardec/

http://www.sef.org.br/sef/index.php/grupo-de-estudos
https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/arquivo/o-livro-dos-mediuns-1.631727

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *