Especial: Imortalidade da Alma

Especial: Imortalidade da Alma

O Cristo ensina em todo o Evangelho e todas as suas máximas se dirigem ao princípio: a imortalidade da alma. Quando Jesus disse: Meu reino não é deste mundo se refere a outro reino, além do físico. O seu reino está no mundo espiritual, nas esferas superiores. Esse deve ser o objetivo da nossa vida, conseguir um bom lugar nesse mundo, que é o destino de toda a humanidade depois desta vida.

 

Conceito: Somos Espíritos e vivemos depois da morte do corpo.

Provas: Pela mediunidade (vidência, materialização, audiência, etc).

Mediunidade: Os Espíritos se comunicam com os homens através dos médiuns.

 

Como Jesus falou da imortalidade da alma?

O Evangelho fala da vida no mundo espiritual como os céus e dos bons espíritos como os anjos. Jesus fala de preparar um lugar depois que ele morrer, e das recompensas no outro mundo, a quem for bom. Mas, o fato mais marcante é que Ele mesmo, após a morte do seu corpo, demonstrou a imortalidade materializando-se aos seus discípulos por quarenta dias, ao que chama-se de ressurreição.

 

Jesus falou da mediunidade?

Sim. Jesus pedia a prática da mediunidade, assim como hoje os espíritas o fazem: Restituí a saúde aos doentes é o passe espírita, ressuscitai os mortos são as reuniões mediúnicas, curai os leprosos são as curas espirituais, expulsai os demônios são as reuniões de desobsessão, e Dai gratuitamente o que gratuitamente haveis recebido é a mediunidade cristã, sem fins lucrativos.

 

O que quer dizer dai de graça?

Jesus prescreve que ninguém deve cobrar por aquilo que nada pagou. Os discípulos haviam recebido gratuitamente a faculdade de curar os doentes e a de expulsar os Espíritos maus. A mediunidade lhes havia sido dada gratuitamente por Deus, para alívio dos que sofrem e para ajudar na propagação da fé. Jesus recomendava-lhes que não fizessem dela objeto de comércio, nem de especulação, nem meio de vida. Os médiuns receberam de Deus um dom gratuito: o de ser intérpretes dos Espíritos para assim, instruir os homens, mostrar o caminho do bem e conduzi-los à fé.

 

Jesus e o Espírito de Moisés

Durante a transfiguração, Jesus conversa com os Espíritos de Moisés e Elias. Moisés, há mais de mil anos, tinha proibido a mediunidade, mas agora como Espírito comunica-se com o Cristo, dando a entender que o tempo dessa proibição havia acabado.

 

Com o Espiritismo, a imortalidade da alma e a vida depois da morte do corpo tornam-se uma realidade material demonstrada pela mediunidade. Só a ideia clara e precisa que se faça da continuidade da vida, proporciona ao homem uma fé inabalável sobre o seu futuro depois da morte.

Os discípulos eram médiuns e produziam fenômenos que o Espiritismo estuda.

Dias depois da morte do seu corpo, Jesus – materializado – com as marcas da cruz – permite que o seu períspirito seja tocado. Diante da dúvida de Tomé, demonstra a imortalidade da alma pela mediunidade dos seus discípulos.

 

Fonte: HU RIVAS, Luís. Evangelho Fácil. Catanduva, SP: Boa Nova Editora, 2014, p. 34-35.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *